Curta nossa pagina

terça-feira, 9 de agosto de 2011

Cristão Acusado de Blasfêmia é Libertado sob Fiança

PAQUISTãO (11º) - Em uma rara decisão do tribunal paquistanês da província de Punjab, na terça-feira (2 de agosto), um jovem cristão acusado de blasfêmia contra o Islã foi libertado sob fiança.
O Tribunal de Chichawatni concedeu fiança a Babar Masih, que sofre de distúrbios psiquiátricos que o fazem gritar e ter acessos de raiva de repente, sem saber o que está fazendo ou dizendo.

O autor da denúncia, Zeeshan Arshad, afirmou ao Relatório de Informações Primordiais (FIR) que Masih fez declarações alegadamente consideradas blasfêmias contra o Islã. A FIR afirma que Masih nunca teria a intenção de ferir os sentimentos religiosos do Islã ou de desrespeitar Arshad. Também disseram que nenhuma pessoa em sã consciência iria querer provocar a ira dos muçulmanos locais.
No dia em que Masih foi acusado (2 de maio), uma multidão de muçulmanos se reuniu em frente à casa dele, recusando-se a ouvir que Masih é uma pessoa com distúrbios mentais. Exigiram que ele lhes fosse entregue, para que pudessem matá-lo publicamente. A polícia, então, veio e o levou sob custódia.
No dia 2 de agosto, o tribunal estava cheio de muçulmanos extremistas e a tensão prevaleceu, segundo Niaz Aamer, um advogado do Centro de Lei e Justiça do Paquistão (CLJP), que está representando Masih nesse caso. Aamer ainda disse que o juiz lhe pediu para ler a sentença, mas silenciosamente, devido à situação delicada em que estavam envolvidos. Depois de ouvir os argumentos, o juiz concedeu a fiança.

Durante seu tempo na prisão, Masih foi atacado, disse Aamer. Em 26 de maio, quando Masih foi levado ao tribunal em uma van da polícia, um policial perguntou em voz alta quem era o acusado de blasfêmia. Assim que Masih foi identificado, um homem de barba que estava entre os acusados o agrediu e tentou enforcá-lo com a corrente de sua algema, até que o policial interveio.
“Babar Masih, que é doente mental, foi acusado de blasfêmia em 2 de maio de 2011 e só foi liberado sob fiança depois de três meses. Enquanto isso, existem centenas de cristãos nas prisões há anos por acusações semelhantes”, disse Aamer.

Os cristãos representam apenas 2,45% da população do Paquistão, que tem mais de 95% de muçulmanos, de acordo com dados da Operation World.
Postar um comentário