Curta nossa pagina

sexta-feira, 29 de julho de 2011

Programas em rádio portátil leva o Evangelho a lugares remotos do Haiti

Programas em rádio portátil leva o Evangelho a lugares remotos do Haiti

Tecnologia é importante para missionários, que agora chegam em áreas antes inacessíveis
A tarefa de levar o evangelho aos confins da terra é árdua. Mas no Haiti, ela tem ficado mais simples. Graças aos avanços da tecnologia de projeção, os programas do Minha Esperança de 2011, que vai ao ar em todo o país desta quinta-feira (21) até sábado (23), serão transmitidos em alguns dos cantos mais remotos do Haiti através de minúsculos projetores portáteis. 

Menor do que um notecard de três por cinco e menos de uma polegada de espessura, o mini-projetor lembra à primeira vista uma câmera de bolso digital, só que atira uma imagem nítida cerca de três metros de largura e dois metros de profundidade com áudio para apoiar uma multidão de pelo menos 50. 

Mas talvez a parte mais valiosa do mini-projetor é sua capacidade de recarga diretamente a partir de uma bateria de motocicleta, de apenas 12 volts.

Minha Esperança é uma ação de evangelização em todo o país que recebe o apoio da Associação Evangelística Billy Graham.

No caso do Haiti, esse é o 54º país a sediar o Minha Esperança desde 2002. Os programas de 30 minutos possuem música, testemunhos e pregações de Billy Graham ou Franklin, também inclui spots de rádio com apresentações nas laterais das igrejas e demais superfícies planas.

"Para chegar a determinadas áreas, mas não tiveram os meios", disse Jeremy Anderson, diretor nacional adjunto do Minha Esperança no Haiti.  "Eles podem entrar e alcançar os não alcançados." 

Tudo que eles precisam é do kit Optoma, uma bateria de 12 volts e do programa Minha Esperança que está no disco mini e, claro, corações dispostos a levar esta mensagem do Evangelho de forma digital para algumas das áreas mais rurais do Haiti. 

"Quando os pastores do comitê nacional do Minha Esperança  viram isso, ficaram muito animados. Quando eles viram a tecnologia, eles viram o potencial.  Eles tinham a certeza de que iriam alcançar as partes mais remotas do Haiti", comemora Anderson.

 
Fonte: Charisma News/Redação CPADNews
Postar um comentário