Curta nossa pagina

segunda-feira, 30 de abril de 2012

Estudantes são mortos na Nigéria no meio de um culto Cristão

Estudantes são mortos na Nigéria no meio de um culto Cristão
Estudantes são mortos na Nigéria no meio de um culto Cristão


Neste domingo (28/04) no teatro da Universidade de Bayero, em Kano, na Nigéria, aproximadamente 20 estudantes foram atacados e mortos com bombas e armas de fogo. Os jovens participavam de uma reunião Cristã. Testemunhas afirmaram que dois cultos foram atacados por pelo menos seis homens armados. Uma das cerimônias acontecia a céu aberto e a segunda era celebrada dentro de um prédio, mas com parte do público do lado de fora do templo lotado.

O ataque durou meia hora e só terminou quando soldados da Força Militar Conjunta da Nigéria chegaram ao local. De acordo com o jornal local Leadership, ocorreram três explosões no local.
As autoridades ainda não confirmaram um balanço oficial de vítimas do ataque, mas um repórter da AFP viu mais de 10 corpos reunidos em uma área da universidade.
Ibrahim Idris, delegado da Polícia de Kano, confirmou pelo menos oito mortes e disse que dezenas de estudantes ficaram feridos. “A situação já está sob controle e os feridos foram transferidos para hospitais”, disse o policial.

O atentado ocorreu poucos dias depois da seita islamita Boko Haram realizar um ataque coordenado às redações do jornal This Day em duas localidades do país, que deixaram seis mortos e dezenas de feridos.
O Boko Haram luta para implementar a lei islâmica na Nigéria e diversos atentados recentes realizados no norte do país foram atribuídos ao grupo. O norte da Nigéria é de maioria muçulmana, e o sul, católica.
Desde 2009, o Boko Haram matou cerca de 1.200 pessoas, a maioria em ataques perpetrados no norte da Nigéria, segundo o chefe do Estado-Maior das Forças Armadas, marechal Oluseyi Petinrin.

Com cerca de 150 milhões de habitantes divididos em mais de 200 grupos tribais, a Nigéria, o país mais populoso da África, sofre com tensões por suas profundas diferenças políticas, religiosas e territoriais.

Postar um comentário