Curta nossa pagina

domingo, 8 de janeiro de 2012

Nigéria: Cristãos fogem da violência provocada pela seita Boko Haram



Aterrorizados, os cristãos nigerianos das tribos indígenas do estado de Yobe preparam-se para abandonar as suas terras devido às ameaças e à violência do grupo de milícias islâmicas 'Boko Haram'
imagem

Os fundamentalistas continuam a atacar e a matar nas igrejas e habitações dos cristãos. “A população do Norte está em pânico e sente-se insegura, depois de terminado o prazo do ultimato lançado pelas milícias, que intimavam os cristãos a abandonar o país”. Os ataques do “Boko Haram”, no norte da Nigéria, continuam mesmo depois do presidente Jonathan ter decretado o “estado de emergência” para prevenir a violência em quatro estados e ter encerrado temporariamente as fronteiras do país com os Camarões, Chade e Níger.
O grupo fundamentalista “Boko Haram” estará a mudar de táctica para contornar o estado de emergência. “Terá começado a monitorizar as zonas onde os cristãos se reúnem para, em seguida, atacar casa a casa durante a noite”, referem as fontes contactadas pela agência Fides. A organização não governamental “Christian Solidarity Worldwide”, presente em Damaturu, capital de Yobe, refere que homens armados atacaram um complexo cristão em Gashu'a Road, matando duas pessoas e ferindo várias outras. A milícia continua a organizar atentados com explosivos nos estados de Borno, Jigawa e Gombe. Segundo referem os cristãos locais, “o perigo vem das represálias que podem conduzir a ulteriores violências e derramamento de sangue”.

O secretário da obra pontifícia “Propagação da fé, Timothy Lehane Barrett, que recentemente esteve na Nigéria, explicou: “O Boko Haram não representa os muçulmanos da Nigéria: vi muitas manifestações de diálogo e solidariedade interreligiosa, porque os muçulmanos vêem as boas obras realizadas pelos cristãos. Queremos dizer aos cristãos nigerianos que não estão sós, que muitas comunidades de mundo rezam por eles e pensam neles”. E acrescentou: “Sei que os fiéis da Nigéria oferecem a Deus o seu sofrimento e rezam pelos cristãos perseguidos de todo o mundo e também pelos seus inimigos, isto é, por quantos os atacam e matam”.

Fonte: Fatima Missionária
Postar um comentário