Curta nossa pagina

quinta-feira, 8 de agosto de 2013

Papa desperta a ira de grupos ultraconservadores



O jornal O Globo, publicou nesta terça-feira, uma noticia que dá conta que alguns grupos ultraconservadores da ICAR despertam  ira contra o Papa Francisco por suas declarações.
As críticas surgem também por sua aversão à formalidade e à pompa, por não ter ido viver no apartamento pontifício do Palácio Apostólico e por outros gestos pouco ortodoxos. A tudo isso se somou a declaração inédita e conciliadora sobre os gays, pronunciada durante uma entrevista coletiva no avião que o trazia de volta a Roma.
- Se uma pessoa é gay, busca o Senhor e tem boa vontade, quem sou eu para julgá-la? - perguntou Francisco, primeiro pontífice a pronunciar a palavra gay e a defender os homossexuais como irmãos.

A declaração causou tamanho rebuliço em ambientes conservadores que fez Francisco ser vítima de um anátema, ou seja, de uma excomunhão por parte de Elias, líder de um grupo dissdente que se autoproclama o Patriarcado Católico Bizantino, proclamado por sete bispos da Igreja Ortodoxa Grega Católica Ucraniana em 2011. Eles afirmam que Francisco violou as leis de Deus.
- Ele promove uma mentalidade imoral da homossexualidade, que é contrária à essência do Evangelho, e destrói todos os valores morais. Francisco Bergoglio está excluído, portanto, do Corpo Místico de Cristo. Cada bispo e sacerdote, como cada católico, está obrigado a se afastar do que ele propôs - disse Elias, num anátema lançado na última segunda-feira.
A excomunhão contra Francisco não é grave. Trata-se do líder de um grupo minúsculo, que já excomungou e lançou anátemas contra Bento XVI; João Paulo II; cardeais e bispos que participaram da reunião entre religiões de Assis de 1986 e 2011; o patriarca ecumênico de Costantinopla, Bartolomeu I; o patriarca ortodoxo de Moscou, Kiril; entre outros religiosos.


Leia mais sobre esse assunto em O GLOBO
Postar um comentário