Curta nossa pagina

sábado, 3 de agosto de 2013

História de `pastor mendigo´ do Facebook é falsa


História de `pastor mendigo´ do Facebook é falsa
Embora ensine uma lição, trata-se de mais uma fraude da internet

Segundo o site especializado em revelar “fraudes da internet” Snopes.com, dia 23 de julho de 2013 uma bela mensagem começou a se espalhar pela internet. Rapidamente traduzida em diversas línguas, a história emocionante do pastor Jeremiah Steepek se tornou uma espécie de “viral do bem”.

Segundo a mensagem que fez sucesso primeiramente no Facebook e depois foi compartilhada em outras redes sociais e via e-mail, esse pastor teria se passado por mendigo para mostrar à sua nova igreja como era preciso refletir como eles tratavam as pessoas.

Embora seja uma bela ilustração sobre o verdadeiro amor cristão, não passa de uma história bonita, porém inverídica.  Já foi tema de investigações de colunas de religião em sites como The Examiner e The Huffington Post.

Se ele fosse pastor de 10 mil pessoas, certamente haveria alguma menção dele na internet.  Em segundo lugar, as duas imagens associadas a ele como suas “fotos” na verdade foram retiradas da internet. Uma busca mais refinada nas ferramentas de busca, revela que a imagem original é de um homem sem-teto não identificado de Londres, e foi feita em 2010 pelo fotógrafo Brad J. Gerrard.

A outra imagem, mais popular na versão brasileira, é de um personagem do ator Joaquim Vieira Basílio, que desde 1992  interpreta o papel de Mendigo em recriações históricas como as Feiras Medievais realizadas em Portugal, na Itália e na Espanha.
O fato de não ser verdadeira não invalida a sua mensagem, pois lembra o primeiro capítulo do famoso livro ficcional de Charles Sheldon, “Em seus passos, o que faria Jesus”, escrito em  1896. Trata-se ainda de algo muito parecido com o que foi feito de verdade pelos 2 pastores americanos que viveram como sem-teto durante 10 dias, para depois usar sua experiência para uma série de sermões em sua igreja.

Também há o registro do pastor metodista Derek Rigby, que se vestiu como um mendigo e invadiu o culto de sua igreja, no País de Gales, numa tentativa de dar uma lição sobre “tolerância” aos fiéis. No Brasil, são conhecidas as experiências similares do pastor Paulo Capeletti. O pastor Luiz Carlos Silva ficou famoso por ser “o pregador que se veste de mendigo” e fez da prática seu ministério, pregando dessa forma em várias igrejas do país.
 
Fonte: Gospel Prime | via: CPAD NEWS
Postar um comentário