Curta nossa pagina

quinta-feira, 13 de junho de 2013

Mais de 100 mil presbiterianos deixam igreja após ordenação de gays

presbiterianos igreja sacerdote gay Mais de 100 mil presbiterianos deixam igreja após ordenação de gays
Presbiterianos que não concordam com a resolução que permite ordenação de sacerdotes homossexuais, têm deixado uma das denominações mais antiga dos EUA.
A Assembleia Geral da Igreja Presbiteriana dos Estados Unidos (PCUSA) revelou que durante o ano passado viu a maior saída de congregações, com 121 abandonos solicitados. No ano anterior tinha sido 21 congregações que deixaram a grande maioria por sua discordância após a aprovação da ordenação de pastores homossexuais.
Em 2010, a 219ª Assembleia Geral, formada por sua maioria de presbíteros, votou a favor da aprovação da Emenda 10, que permite a ordenação de clérigos abertamente homossexuais. Devido a esta modificação, muitas congregações conservadoras decidiram sair da Comunhão, a maior das presbiterianas dos Estados Unidos e uma das mais antigas denominações protestantes do país.
Emily Enders Odom, coordenadora de comunicação da Assembleia, explicou em um comunicado da situação, indicando que apesar da dor que a separação produz, apenas ’29% dos 173 presbitérios’ haviam oposto a norma.
No entanto, outros veem uma grande importância no crescimento repentino dos conservadores denominacionais presbiterianos nos Estados Unidos.
Em janeiro de 2012, o grupo da Confraternidade de Presbiterianos dos Estados Unidos, uma organização conservadora, celebrou seu encontro com cerca de 2.100 presbiterianos de 500 congregações em Orlando. O resultado da conferencia foi à criação de um “novo corpo reformado” conhecido como a Ordem da Aliança Evangélica de Presbiterianos (ECO).
Jim Miller, do Instituto sobre Religião e Democracia, escreveu em fevereiro que ECO, cujas igrejas-membro procedem exclusivamente de congregações desligadas da Igreja Presbiteriana PCUSA, foi se tornando cada vez mais forte. ECO celebrou seu primeiro sínodo nacional no dia 30 de janeiro a 1 de fevereiro de 2013 em Orlando, com a presença de 1.200 pessoas.
ECO agora tem 28 igrejas membros, todas saídas da Igreja Presbiteriana. Há outras 48 igrejas que se encontram em processo de transição e outros 75 estão estudando uma possível união. Este é um movimento em crescimento“, diz Miller.
Enquanto isso as congregações da PCUSA estão sofrendo uma diminuição no numero de membros regulares. No final de 2012 contavam com cerca de 1,84 milhões, e no final de 2011 contava com 1,95 milhões. Representando então uma média de mais de 102 mil membros.

quarta-feira, 12 de junho de 2013

Papa reconhece que há corrupção e “lobby gay” no Vaticano

Essa foi a primeira vez que o papa tocou no assuntou que foi matéria da imprensa italiana em fevereiro.
por Leiliane Roberta Lopes

Papa reconhece que há corrupção e “lobby gay” no VaticanoPapa reconhece que há corrupção e "lobby gay" no Vaticano
Durante uma audiência com a diretoria da Confederação Latino-Americana e Caribenha de Religiosos (CLAR), o papa Francisco reconheceu que existe corrupção e um “lobby gay” no Vaticano, as informações são do O Globo.
O encontro aconteceu na última quinta-feira (6) e foi noticiado pelo site católico chileno Reflexión y Liberación. As falas do papa podem significar propostas de mudanças internas. “Na cúria, há gente santa, de verdade, há gente santa. Mas também há uma corrente de corrupção, também há, é verdade. Fala-se de lobby gay, e é verdade, está aí… temos que ver o que podemos fazer”.
O “lobby gay” seria as chantagens internas baseadas em fraquezas sexuais, casos como esses foram noticiados recentemente pela imprensa italiana em fevereiro deste ano. Bento XVI chegou a entregar para Francisco o relatório ultrassecreto que mostra várias falhas dentro do Vaticano como casos de homossexualidade, tráfico de influências e disputas internas por poder e dinheiro.
Essa foi a primeira vez que o pontífice falou sobre os problemas do Vaticano, mas também deixou claro que é muito desorganizado para realizar a reforma da Cúria Romana, algo desejado por quase todos os cardeais.
“A reforma não pode ser feita por mim mesmo… esses temas de gestão. Eu sou muito desorganizado, eu nunca fui bom nisso. Mas os cardeais da Comissão a levarão adiante”, garantiu.
Fonte: Gospel Prime

terça-feira, 11 de junho de 2013

Igreja é a instituição com maior confiança


Maioria dos brasileiros é contra o casamento gay
Uma pesquisa realizada pela Confederação Nacional dos Transportes (CNT) em parceria com a MDA Pesquisas questionou os brasileiros sobre temas sociais, além de comportamentos. Dos 2.010 entrevistados, a Igreja é a instituição com maior confiança (37,5%), seguida da Polícia Federal (13,8%) e do Supremo Tribunal Federal (8,2%). As casas do Congresso Nacional aparecem na lanterna. O Senado tem a confiança de 0,7% dos entrevistados enquanto a Câmara dos Deputados possui 0,6%.
Segundo matéria publicada no site Terra desta terça-feira (11), quase a metade dos questionados (49,7%) se posicionou contrária à união civil entre pessoas do mesmo sexo. Outros 38,9% dizem ser favoráveis e 11,4% não souberam opinar ou não responderam.
Quando o cenário é de casamento entre pessoas do mesmo sexo (e não apenas união civil), a rejeição aumenta para 54,2%. O número de favoráveis se reduz para 37,5% e o percentual de pessoas sem opinião formada a respeito cai para 8,3%.
A redução da maioridade penal é defendida por 92,7% dos entrevistados. Segundo a pesquisa, a percepção de aumento de crimes praticados por menores de idade é de 69,1%.
A pesquisa CNT/MDA fez entrevistas com 2.010 pessoas entre os dias 1º e 5 de junho em 20 unidades da Federação. A margem de erro é de 2,2 pontos percentuais.
Fonte: Verdade Gospel com informações Terra | via: Portal do Crente

domingo, 2 de junho de 2013

Rebeldes sírios apoiados pelos EUA massacram vila cristã

Comentário de Don Hank: Não pensem que Obama é o único responsável pela matança de cristãos. A verdade é que o senador republicano John McCain está com mais empolgação para ajudar a al-Qaida a matar mais cristãos e derrubar Bashar Al Assad, o líder que é mais amistoso aos cristãos no mundo islâmico.
Leia também este importante artigo de Don Hank: “Como as potências ocidentais ajudam na perseguição aos cristãos”
Comentário de Julio Severo: Temos aqui uma notícia triste de cristãos sírios sendo massacrados por rebeldes islâmicos e o maior envolvimento do Brasil nesta altura é um requerimento de “louvor” a uma Declaração de Istambul, como se fosse possível tratar de modo justo dos cristãos sírios quando Istambul é a cidade mais importante do país que mais ajuda a al-Qaida e os rebeldes islâmicos na Síria. A seguir, o artigo:

Rebeldes sírios apoiados pelos EUA massacram vila cristã

Ryan Keller
Membros do Exército Sírio Livre [compostos de rebeldes islâmicos apoiados pela Turquia] atacaram a vila al-Duvair, de maioria cristã, nos arredores de Homs na segunda-feira, onde massacraram seus cidadãos, inclusive mulheres e crianças, antes que o Exército Sírio intervisse.
Cristãos sírios massacrados
Esse ataque denunciado ocorreu logo depois de intenso combate na cidade de al-Qusseir no final de semana, em que o exército de Bashar Al-Assad infligiu pesadas baixas nos rebeldes.
O exército de Assad lançou uma ofensiva em abril num esforço para interromper as linhas de abastecimento para os rebeldes ao tomar a cidade e suas regiões vizinhas dos grupos rebeldes que estavam entrincheirados ali desde o ano passado. Duas semanas atrás, o exército sírio alcançou o centro da cidade.
Embora as fontes que descreveram o massacre de segunda-feira apoiem Assad, é possível que tenha ocorrido, pois os grupos rebeldes que estão lutando contra o governo de Assad são compostos principalmente de membros da al-Qaida e grupos ligados a al-Qaida e têm cometido crimes de guerra e atrocidades no passado.
Jabhat al-Nusra, o ramo da al-Qaida que lutou e matou americanos e tropas aliadas no Iraque, assumiu posições na Síria e controla o movimento rebelde.
Os EUA e outros governos ocidentais que estão apoiando o Exército Sírio Livre reconhecem a presença de jihadistas, mas insistem em que eles são apenas uma pequena parte do movimento rebelde. Contudo, a al-Qaida e outros grupos extremistas islâmicos estão na linha de frente do movimento rebelde desde o primeiro dia da guerra síria, que começou dois anos atrás. De acordo com os serviços alemães de espionagem, 95 por cento dos rebeldes nem mesmo são sírios.
“Na Síria controlada pelos rebeldes, a luta é totalmente religiosa,” noticiou o jornal New York Times no mês passado.
Em abril, Abou Mohamad al-Joulani, líder do grupo rebelde al-Nusra, prometeu lealdade a Ayman al-Zawahri, líder da al-Qaida.
Membros dos rebeldes confessaram que seu plano é instituir a lei islâmica, e os rebeldes têm agora uma brigada chamada Brigada Osama bin Laden.
Apesar das provas de conexões com a al-Qaida, o governo dos EUA continua a apoiar o Exército Sírio Livre.
Traduzido por Julio Severo do artigo do Examiner: U.S.-backed Syrian rebels reportedly massacre Christian village
Fonte: www.juliosevero.com